O que é a Psicanálise?

O que é a Psicanálise - Freud

A psicanálise acredita que nossos comportamentos e sentimentos são regidos por desejos inconscientes. Para analisar os conteúdos inconscientes, é preciso acessar os instintos, anseios e impulsos que fornecem a energia para as ações.

Sigmund Freud (1856-1939), criador da Psicanálise, era médico neurologista. Segundo ele, o inconsciente é a fonte de energias, desejos reprimidos e velhas lembranças. Ele realizou muitas descobertas de sua teoria fazendo auto-análise, ele também analisou rigorosamente seus sonhos e os de seus pacientes.

O objeto de estudo da psicanálise é o inconsciente, e a análise é realizada por meio da fala do paciente e da associação livre dos pensamentos dele pelo psicanalista.



NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA


Consciente: é apenas uma parte de nosso funcionamento mental, o que temos consciência do que pensamos, do que sentimos, do que falamos e do que fazemos, sendo constituído pelas ideias que estamos cientes no momento.

Pré-Consciente: é constituído por ideias inconscientes que podem se tornar conscientes quando direcionamos a atenção para elas, podendo ser percebidas nos sonhos ou nos atos falhos.

Inconsciente: é a grande parte nossa que não temos consciência, onde estão guardados os desejos reprimidos, os conteúdos censurados e as pulsões inacessíveis à consciência, que influencia nossos comportamentos e ações, sem que a gente perceba.



FORMAÇÃO DO INCONSCIENTE


Id: é onde está o nosso desejo libidinal, são todas as energias psíquicas e pulsões que possuem como intuito a obtenção do prazer.

Ego ("eu", em grego): é resultante da tentativa de estabelecer equilíbrio entre os desejos do id e as exigências da realidade e ordens morais do super-ego; na prática o que queremos é viver todo o tempo é o "id" (os desejos) , mas há o "super-ego" para nos proibir, e o "ego" surge como resultante da tensão entre id e super-ego.

Super-Ego: é o representante das regras morais que nos impedem a realizar desejos, que nos geram proibições e limites por meio de regras morais.



DESENVOLVIMENTO PSICO-SEXUAL


Segundo Freud, a formação da personalidade está relacionada com o desenvolvimento do instinto sexual, que se inicia no primeiro ano de vida. Para ele, as diferenças individuais são marcadas pelo desenvolvimento dos estágios psicossexuais de cada um. Se as questões de cada fase não forem resolvidas adequadamente, ou seja, se não forem experimentados com a satisfação adequada, a pessoa pode se tornar fixada por certa fase e procurar durante o resto da vida obter o prazer de maneira neurótica.

Fase oral: no primeiro ano de vida a criança satisfaz suas necessidade sexual por meio da boca e obtém o prazer através da sucção. Uma fixação nessa fase pode tornar a pessoa num fumante inveterado, num guloso ou num tagarela;

Fase anal: no segundo e terceiro ano de vida a criança se satisfaz através da expulsão das fezes ou em retê-las. Uma fixação nesta fase pode explicar obsessividade com limpeza e arrumação, avareza e outros;

Fase fálica: no terceiro e quarto ano de vida a criança descobre seu sexo e experimenta o prazer ao manusear os órgãos genitais.

Complexo de Édipo: a criança ama o genitor do sexo oposto e sente ciúmes do genitor do mesmo sexo pois lhe impede o amor daquele e, para resolver o conflito e aliviar a ansiedade, a criança se identifica com o genitor do mesmo sexo através da incorporação dos valores sociais de papel masculino ou feminino. Quando o conflito edipiano não é resolvido, pode se causar neuroses futuras.

Período de latência: do quinto ao décimo segundo ano de vida, se desenvolve geralmente nos anos de escola, onde há uma supressão dos impulsos sexuais que são reprimidos, a construção do pensamento lógico e o controle da vida psíquica pelo princípio da realidade;

Fase genital: do décimo segundo ano em diante, onde o adolescente deixa de ser para si mesmo o objeto de interesse e se volta para outras coisas e pessoas, inicia-se as ligações heterossexuais, o interesse pelas atividades humanas adultas e seu papel no mundo social.



ALGUNS TERMOS PSICANALÍTICOS


Catarse (do grego kátharsis): purgação, purificação, limpeza (pôr para fora o sentimento); efeito provocado pela conscientização de uma lembrança fortemente emocional e/ou traumatizante que era até então reprimida;

Método Catártico: lembra-se do afeto causador e purga para fora o evento; purga as emoções e fica aliviado.

Defesa: expulsa da consciência a lembrança (representação e afeto), não permite que a lembrança que é inadmissível (à moral ou aos "bons costumes") e seu afeto tomem a consciência; é um ato intencional do sujeito (inconsciente), que desloca o afeto para outra coisa.

Mecanismo de Defesa: quando um comportamento ou pensamento é reprimido, expulso da consciência, quando o afeto é dissociado de sua representação pode se converter em algo somático (histeria) ou numa obsessão (neurose).


Texto por Bruno Carrasco, psicoterapeuta que valoriza de cada pessoa em seu modo de ser singular, colaborando para lidar com suas dificuldades e ampliar suas possibilidades de ser.





Quer ver mais?



Para saber mais sobre a Psicologia, conheça o ebook "Conhecendo a Psicologia", que apresenta a psicologia de maneira didática e de fácil compreensão, seus fundamentos, suas principais abordagens e aplicações práticas.
O que é a Psicanálise? O que é a Psicanálise? Revisado by Trilhando Autonomia em 14:09:00 Avaliação: 5
Tecnologia do Blogger.