Os povos - Milton Nascimento

Os Povos - Milton Nascimento

Na beira do mundo,
Portão de ferro, aldeia morta, multidão.
Meu povo, meu povo
Não quis saber do que é novo, nunca mais.
Eh! Minha cidade
Aldeia morta, anel de ouro, meu amor.
Na beira da vida
A gente torna a se encontrar só.

Casa iluminada
Portão de ferro, cadeado, coração.
E eu reconquistado
Vou passeando, passeando e morrer.
Perto de seus olhos
Anel de ouro, aniversário, meu amor.
Em minha cidade
A gente aprende a viver só.

Ah, um dia, qualquer dia de calor
É sempre mais um dia de lembrar
A cordilheira de sonhos que a noite apagou.

Eh! Minha cidade
Portão de ouro, aldeia morta, solidão.
Meu povo, meu povo
Aldeia morta, cadeado, coração.
E eu reconquistado
Vou caminhando, caminhando e morrer.
Dentro de seus braços
A gente aprende a morrer só.
Meu povo, meu povo
Pela cidade a viver só.




Por Milton Nascimento, Márcio Borges.
Os povos - Milton Nascimento Os povos - Milton Nascimento Revisado by Trilhando Autonomia em 10:19:00 Avaliação: 5
Tecnologia do Blogger.