Ser empático

Pintura: In the Style of Kairouan - Paul Klee

Ser empático significa penetrar no mundo perceptual do outro e sentir-se totalmente à vontade dentro dele.

Requer sensibilidade constante para com as mudanças que se verificam nesta pessoa em relação aos significados que ela percebe, ao medo, à raiva, à ternura, à confusão ou ao que quer que ele esteja vivenciando.

Significa viver temporariamente sua vida, mover-se delicadamente dentro dela sem julgar, perceber os significados que quase não percebe, tudo isto sem tentar revelar sentimentos dos quais a pessoa não tem consciência, pois isto poderia ser muito ameaçador.

Implica em transmitir a maneira como você sente o mundo da pessoa à medida que examina, sem viés e sem medo os aspectos que ela teme. Significa, frequentemente, avaliar com a pessoa a precisão do que sentimos e nos guiarmos pelas respostas obtidas.

Passamos a ser um companheiro confiante dessa pessoa em seu mundo interior. Mostrando os possíveis significados presentes no fluxo de suas vivências, ajudamos a pessoa a focalizar esta modalidade útil de ponto de referência, a vivenciar os significados de forma mais plena e a progredir nesta vivência.

Estar com o outro desta maneira significa deixar de lado, neste momento, nossos próprios pontos de vista e valores, para entrar no mundo do outro sem preconceitos; num certo sentido, significa pôr de lado nosso próprio eu.


Por Carl Rogers (1902-1987), criador da abordagem centrada na pessoa.
Do livro "A Pessoa como Centro", 1977.

Ser empático Ser empático Revisado by Trilhando Autonomia em 20:15:00 Avaliação: 5
Tecnologia do Blogger.